curlymess.pt

Álbum Review: The xx – “I See You”

in Discos/Música by

The xx

“I See You”
Young Turks; 2017

Por Emanuel Rodrigues


 

Ouvir:

Spotify

10/10

 

“O que são afinal os The xx? Indie? Pop electrónico? Um híbrido? Não sabemos, e talvez seja por isso mesmo que o interesse é tamanho: a não definição fácil.

Ouvir The xx é uma viagem a cada música (como o são tantas outras bandas, mas estes são os The xx que se juntaram na Elliot School no sul de Londres e que teve como alunos músicos de Hot Chip, Burial e Four Tet), e desde o primeiro álbum que a viagem tem sido profunda e longa.” Neck, chest, waist to floor Easy to take, you could take me in fours” – Basic Space. Desde algum sexo presente no primeiro álbum até hoje onde em “Dangerous” somos aconselhados a “treasure each day”. O que nos dão é o mesmo que nos tiram e o mesmo que procuramos ouvir com eles. Porque eles ouvem connosco, não partilham apenas a música que fazem.

“I See You” é um álbum mais dançável e ainda mais electrónico no que fazem com os beats a que nos dão direito. A guitarra de Romy mantém-se e nós precisamos (e muito) dela para abrir o caminho à cadência da percussão como acontece em “Say Something Loving”. Quando muitos se queixaram porque “Coexist” parecia ser mais do mesmo e em alguns aspectos até foi (temática das letras, “vibes” e melodias) “I See You” traz consigo mais maturidade e experiência de vida e devida. O melhor não será mesmo ficarmos apenas pelos singles porque a cadência de ritmos de “Lips” e a percussão de “I Dare You” dão-nos algum espaço para dançar ou simplesmente prestar atenção à letra.

Curioso continua a ser o facto de que não há no panorama musical do momento uma banda com dois vocalistas (homem e mulher) que não resvale o piroso-romântico e que consiga cantar em coro com uma harmonia tamanha. Que se lancem balões, que se escreva nas paredes e que se dance. Porque de uma forma ou de outra estamos todos “On Hold”.

Últimos

Go to Top